sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Semi-Preto

Olhando fotos antigas, que bonito eu era
Na porta da igreja, indiozinho colonizado
Camisetinha xadrez e marra na cara
Cabelo liso, pele vermelha

Mas hj quando entro no trabalho,
Dô de cara com a caricartura no quadro branco
Um negão, um Jeremias
Olha o tamanho do bico da criatura
Nasci preto nos traços da minha amiga

Mas não é tudo isso de família?
Minha mãe branca, minha irmã loira
Mas eu tbm pareço com elas...
Olha meu rosto comprido, e meu nariz afilado!

Mas ai na hora do reggae....
Mesmo que curvado, nesse som louco
To pretinho, safado!
Mas ai toca o samba...
E tô um gringo de duro! Europeu, todo doido...
Na hora de pagar, "pão duro", sô um portuga de novo!

Mas debaixo do teu lençol, nega
Nesse vai e vem gostoso, eu brinco bonito
Mas menina, cuidado... Pq se tua barriga cresce,
Eu ate sei o nome, mas quem vai saber a cor?

2 comentários:

Mirelle Nina disse...

E não é que ele é cômico, minha gente? Dei boas gargalhadas...

Emanuel Souza disse...

Belo texto paulo

parabéns.